Acompanhando Interface Ativa!

sábado, 29 de dezembro de 2012

Do desabafo de um blogueiro


Vulmar Leite escreveu, hoje, em seu blog, um belo manifesto a favor da liberdade de expressão nas diversas plataformas de mídia, especialmente nos blogs que, em Santiago, são muitos. O pano de fundo da veemente manifestação foi texto publicado pelo blogueiro Jorge Ireno Reis. Comungo com a opinião dos dois blogueiros, tanto que as reproduzo:

"Do desabafo de um blogueiro:


Jorge Ireno Reis, titular do blog: http://jorgeirenoreis.blogspot.com.br/ publica, hoje, um forte desabafo sobre as pressões e críticas que recebeu ao expressar suas opiniões sobre acontecimentos e fatos que são notícia na nossa comunidade. Um dos orgulhos de muitos da nossa terra é a existência de muitos blogs titulados por jornalistas, poetas, escritores, artistas, profissionais liberais, estudantes, professores, juízes, agricultores, leigos, - são múltiplas as visões, concepções de sociedade, costumes, crenças, saberes que se entrechocam, interagem, debatem - . A riqueza maior dessa profusão virtual de blogs é a de proporcionar a livre expressão e o compartilhamento de ideias, pensamentos e informações, de forma rápida e instantânea, que muitos as reprimiam no seu íntimo por não terem acesso aos canais de comunicação tradicional, privilégio de poucas pessoas.


A moderna tecnologia mudou paradigmas, rompeu barreiras, quebrou tabus, aproximou as pessoas de todos os quadrantes; democratizou o acesso à informação em todos os campos do conhecimento, como jamais poderíamos sonhar. Isso é bom? É ruim? É muito bom exercitar nossa capacidade e liberdade de pensar, criar, propor, criticar, elogiar e poder compartilhar, quase que instantaneamente, com as pessoas que estimamos, desejamos, ou não, já que a informação jogada na rede independe do nosso controle.

O que é inaceitável, triste e retrógrado é quando algumas pessoas se arvoram de censores do pensamento e da vontade alheia, infelizmente, não se contrapondo com os mesmos instrumentos e no plano das ideias, mas tentando, através de subterfúgios, impedir, evitar, barrar, tutelar, controlar a livre manifestação dos indivíduos que pensam e veem o universo de forma diferente de seus estreitos mundinhos.

É por isso, Jorge, que quero lhe dizer que continue se expressando livremente, de acordo com a sua consciência, rejeitando o patrulhamento de quem aprendeu a somente cumprir ordens, incapaz de refletir, questionar ou propor algo de novo ou de bom para sua própria vida, quiçá da comunidade onde vive."

Reproduzo, abaixo, o desabafo do Jorge Ireno:


Os Blogueiros e as Fofocas


Não sei por qual o motivo, mas tem pessoas em Santiago incomodadas porque escrevi sobre “O Silêncio”, não estou instigando ninguém a nada, apenas expresso a minha opinião sobre fatos e não sobre boatos, e o “Silêncio” é um fato.

Sei que o meu blog é pouco acessado, mas as pessoas que acompanham os blogs de Santiago sabem muito bem quem são os fofoqueiros.
Não sou jornalista, sou um cidadão comum e repito: Eu expresso a minha opinião sobre o que é fato e não sobre boatos.

Se alguém acha necessário manter em segredo um fato, que guarde-o a sete chaves, mas se alguém, que não sei quem é, ligou para o diretor da maior rádio da cidade para relatar um acontecimento, fica difícil manter em segredo, até porque é fato, e assim os leitores dos blogs podem chegar a uma conclusão de quem realmente são os fofoqueiros.

Eu não sobrevivo de patrocínios, não vivo babando ovo dos que “se acham” donos da cidade, pago os meus impostos em dia, sou um cidadão que procuro ser o mais correto possível, sou pobre mas tenho orgulho de ser honesto, não bebo água nas orelhas de ninguém.

Santiago é a minha terra querida, sou brasileiro e na Constituição Federal 1988 tenho assegurado o meu direito de expressão.

Nenhum comentário: