Acompanhando Interface Ativa!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Aviso aos navegantes

MP pede cassação de irmãos Tião e Jorge Viana

Josias de Souza

Em parecer dirigido à Justiça Eleitoral, a vice-procuradora-geral eleitoral Sandra Cureau (foto) pede a cassação dos mandatos dos irmãos Tião e Jorge Viana, respectivamente governador e senador pelo PT do Acre. Acusa-os de “abuso dos meios de comunicação, do poder político e do poder econômico.” Sandra recomenda também a cassação do vice-governador do Acre, Cesar Messias, e dos suplentes de Jorge Viana.

Remetido à Justiça Eleitoral, o parecer da vice-procuradora anota que, nas eleições de 2010, os candidatos da coligação dos Viana “conduziram a linha editorial dos periódicos de grande circulação e de canais de televisão e rádio locais, fortalecendo suas imagens por meio de matérias jornalísticas repletas de valorações positivas, dirigindo críticas negativas e adjetivos depreciativos aos candidatos da coligação partidária oposta.”

Sustenta que os candidato prevaleceram nas urnas valendo-se de “bens, servidores e serviços da administração pública estadual e municipal para a realização da campanha eleitoral.” Na opinião de Sandra, houve apropriação, “ainda que de forma indireta, dos parcos recursos financeiros da administração pública”.

De resto, anota a sub-procuradora em seu texto, os candidatos exigiram, de maneira “reiterada e insistente, vultosas quantias de dinheiro a empresários que mantêm contratos de prestação de serviços, fornecimento de bens e realização de obras com o Poder Público.”

Para Sandra, “restou vulnerada a legitimidade e a lisura das eleições, decorrente do uso abusivo dos meios de comunicação social, do abuso de poder político e econômico, capazes de prejudicar a igualdade de oportunidades nas eleições e a livre manifestação da vontade política popular.”

Um comentário:

Anônimo disse...

Boa tarde, Nivia.

Muito oportuna esta publicação, pois serve de alerta aos proprietários de blogues, jornais e emissoras de rádio
sobre os cuidados que devem observar na veiculação de notícias elogiando ou escarnecendo candidatos.

O Ministério Público está aí para coibir eventuais abusos das regras eleitorais.

Cordialmente,

Adelino