Acompanhando Interface Ativa!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Receita pra lavar palavra suja



Mergulhar a palavra suja em água sanitária.
depois de dois dias de molho, quarar ao sol do meio dia.
Algumas palavras quando alvejadas ao sol
adquirem consistência de certeza. Por exemplo a palavra vida.
Existem outras, e a palavra amor é uma delas,
que são muito encardidas pelo uso, o que recomenda esfregar e bater insistentemente na pedra, depois enxaguar em água corrente.
São poucas as que resistem a esses cuidados, mas existem aquelas.
Dizem que limão e sal tira sujeira difícil, mas nada.
Toda tentativa de lavar a piedade foi sempre em vão.
Agora nunca vi palavra tão suja como perda.
Perda e morte na medida em que são alvejadas
soltam um líquido corrosivo, que atende pelo nome de amargura, que é capaz de esvaziar o vigor da língua.
O aconselhado nesse caso é mantê-las sempre de molho
em um amaciante de boa qualidade. Agora, se o que você quer é somente aliviar as palavras do uso diário, pode usar simplesmente sabão em pó e máquina de lavar.
O perigo neste caso é misturar palavras que mancham
no contato umas com as outras.
Culpa, por exemplo, a culpa mancha tudo que encontra e deve ser sempre alvejada sozinha.
Outra mistura pouco aconselhada é amizade e desejo, já que desejo, sendo uma palavra intensa, quase agressiva, pode, o que não é inevitável, esgarçar a força delicada da palavra amizade.
Já a palavra força cai bem em qualquer mistura.
Outro cuidado importante é não lavar demais as palavras
sob o risco de perderem o sentido.
A sujeirinha cotidiana, quando não é excessiva,
produz uma oleosidade que dá vigor aos sons.
Muito importante na arte de lavar palavras
é saber reconhecer uma palavra limpa.
Conviva com a palavra durante alguns dias.
Deixe que se misture em seus gestos, que passeie
pela expressão dos seus sentidos. À noite, permita que se deite, não a seu lado mas sobre seu corpo.
Enquanto você dorme, a palavra, plantada em sua carne,
prolifera em toda sua possibilidade.
Se puder suportar essa convivência até não mais
perceber a presença dela, então você tem uma palavra limpa.
Uma palavra LIMPA é uma palavra possível.
Viviane Mosé

4 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde, Nivea!

Muito oportuna a sua postagem, há muitas palavras ditas e escritas que necessitam de higienização, para que possam expressar sentimentos verdadeiros.

Acredito que palavras erradas e pronunciadas fora dos sentidos desejados, também requerem uma boa lavagem com detergente.

Cordialmente,

Etiel Lima

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezada jornalista Nivia Andres!
Que deleite inefável se deparar com esta crônica irretocável, que só podia ser de sua lavra por conta da sua maravilhosa verve!!!!!
Existem duas palavras que são tão imundas, mas tão imundas, que somente o fato de pensar em externá-las a fedentina começa a empestear as vítimas destas purulentas palavras... As palavras são: traição e falsidade. Que fedor insuportável... Creio que nem que estas malditas palavras fiquem a quarar sob a incidência do Sol do meio dia na região do Equador por incontáveis dias deixarão de exalar o odor característico de matéria orgânica em estado de putrefação!!!!!
Caloroso abraço! Saudações iluminadas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

Anônimo disse...

Senhora articulista!

Bem que alguns blogs do Povinho do Boqueirão mereciam passar pela sua lavanderia, para limpar os palavrões que aplicam sem dó e sem piedade, em nós otários e incautos leitores.

Jovenal Fernades

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezada jornalista Nivia Andres!
Agora que me dei conta que esta crônica irretocável não é de sua lavra... O estilo da cronista lembra o seu!!!!!
Caloroso abraço! Saudações corretivas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP