Acompanhando Interface Ativa!

domingo, 20 de novembro de 2011

Celebrar é preciso!


Villa Michelon


Passei o final de semana na Serra Gaúcha, mais especificamente no Vale dos Vinhedos, para participar de um encontro raro. O local era especial, o Hotel Villa Michelon, um lugar paradisíaco, onde a natureza é pródiga e o ar é mágico, carregado de perfumes e de beleza. Mais especiais ainda eram as pessoas que foram celebrar 40 anos de formatura no curso de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – os formandos da AEA 1971.

Não. Eu não era uma das formandas. Sou jornalista e este é um singelo relato do que vivi e presenciei nesse encontro emocionante. Acompanhava o Vulmar, um dos agrônomos da turma de 1971.

Creio que os tempos vividos na Academia são muito marcantes na nossa vida. Colegas se tornam amigos, companheiros, enfrentam os mesmos problemas, sentem falta da família, muitas vezes distante; estudam juntos; convivem estreitamente e criam vínculos que perduram para sempre, mesmo que a distância os separe, inevitavelmente.

O encontro começou a ser preparado, em todos os detalhes, a partir de janeiro de 2011. A primeira providência foi localizar os colegas, espalhados por todo o Brasil. Eram 50. A internet foi um mecanismo de busca precioso. Um a um, foram sendo contatados. Um blog foi criado e, a cada dia, fotos da época e informações eram acrescentadas. E-mails eram trocados diariamente. Sete colegas, lamentavelmente, haviam falecido, mas todos foram encontrados.

Enfim, foi marcada a data do encontro – 18, 19 e 20 de novembro, no hotel Villa Michelon, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves. No grande dia do encontro e da confraternização, lá estavam 35 colegas e suas companheiras.

Engenheiros Agrônomos UFRGS 1971
Vulmar, Venturella, Mauro e Gastão






Asseguro-lhes que as amplas e confortáveis dependências da Villa Michelon se tornaram pequenas para tanta alegria e emoção pelo reencontro. A cada abraço, a cada aperto de mão, a vida era celebrada e voltava 44 anos atrás, quando jovens cheios de sonhos e de vitalidade se encontraram pela primeira vez. 
Foi um privilégio conhecer a todos.  

3 comentários:

Guille disse...

Que lindas fotos y que bello grupo!

Renato Côrte Real disse...

Parabéns Jornalista Nivia, pela matéria. O reencontro, após um longo período, é um rejuvenescer e um reviver o passado, como se o tempo não tivesse acontecido. As emoções do rever a vida no reconhecer um colega, depois de tanto tempo, são indescritíveis.
Renato Côrte Real - Coordenador do grupo

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezada jornalista Nivia Andres!
Como é do seu conhecimento sou um memorialista de carteirinha!!!
Imagino o deleite inefável do valoroso engenheiro Vulmar em rever amigos do tempo que estávamos no auge do regime ditatorial!
Caloroso abraço! Saudações memorialistas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP