Acompanhando Interface Ativa!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Cena 1


OS BOMBEIROS E O BOLO

No Réveillon de 2001, estava nos Estados Unidos, na casa de minha filha. Havia dias que nevava e ventava muito, fazendo um "frio de congelar rabo de cachorro"! Fui incumbido de preparar o assado e a sobremesa para a ceia de "Ano Novo"e logo de manhã comecei os preparativos. Enquanto eu assava o bolo, saia a todo momento para fumar (sou inveterado) e admirar os enormes flocos de neve que caiam mansamente.

Lá pelo meio dia, o bolo já estava pronto, lindo, todo enfeitado com glacê e morangos. Coloquei-o numa bancadinha de granito, bem debaixo da vidraça da cozinha e fui cuidar do assado. Liguei o forno no máximo pois o pernil era dos grandes e saí para fumar novamente. Por lá é costumeiro ter duas portas na cozinha, uma de madeira e outra "mosquiteiro". Como as tragadas seriam rápidas, saí sem o casaco, apenas com um cachecol. Aconteceu que a porta se fechou, com o trinco de trava virado e lá fiquei eu trancado prá fora, num frio de 30 graus negativos.

"Maldito vício, e agora, que fazer?!" Forcei todas as portas e janelas mas estavam perdidamente cerradas para mim. Tentei proteger-me num chalezinho do quintal onde meu genro guarda seus apetrechos esportivos mas, sem aquecimento, era mais frio que lá fora.

Sai pela rua e entrei no Duty Free da esquina. Comprei um Malboro Light, tomei um café horroroso servido num copo enorme e fiz horas por alí até quando a dona começou a olhar feio. Saí, mesmo porque não tinha mais dinheiro para comprar nada.

Bem; encurtando a estória, depois de umas três horas fiquei desesperado pois os pés estavam formigando, o nariz e orelhas não podiam ser tocados com perigo de se quebrarem. Olhei para o pequeno vitrô da cozinha e pensei: é melhor comprar outra janela que morrer congelado. No momento em que ia bater a barra de ferro na vidraça, ação que iria me salvar mas inevitavelmente, destruir meu bolo que estava bem embaixo, ouvi o alarme disparando: "Meu Deus, o assado deve estar queimando e enfumaçando a cozinha!"

Assim como Marta, eu pensei, abaixando o ferro: "relaxe e goze..." Em questão de minutos os bombeiros (eram em seis) chegaram, naquele estardalhaço. Antes que esticassem as mangueiras, consegui explicar o ocorrido. Com suas ferramentas, abriram a porta, desligaram o alarme e acionaram o sistema de ventilação. Antes que eles me dessem uma lição de moral ou multa, ofereci um pedaço do bolo que realmente tinha uma aparência apetitosa.

Não só aceitaram como devoraram quase o bolo inteiro.

Enquanto entrava na banheira de água quente pensei, aliviado: "Dessa eu me safei mas e agora, como fazer com a sobremesa?" Resolví fazer às pressas um pudim de claras e com as gemas, preparei um quindão que ficaram prontos quando os convivas já estavam chegando.

De qualquer forma foi um sucesso e vou passar as receitas:

PUDIM DE CLARAS COM DAMASCOS: 12 claras; 24 colheres de açucar; 1 colher (chá) de pó royal; 2 colheres (sopa) rasas de maizena; damascos ou raspinhas de limão. Bater as claras em neve (numa vasilha grande), colocar o açúcar aos poucos, o fermento, a maizena e os damascos (afervente-os, antes, em água com açucar e bata no liquidificador até formar uma massa) ou as raspinhas de limão. Bater bastante, por uns 10 minutos. Unte uma forma grande (de buraco no meio)com margarina e açúcar. Assar em "banho-maria" e desenformar ainda quente, espalhando por cima um creme de baunilha. Creme de baunilha:1/2 litro de leite; 1 gema desmanchada no leite frio; 4 colheres de açúcar, 4 ou 5 gotas de baunilha e 2 colheres de maizena desmanchada em um copo de leite frio e acrescentada à mistura um pouco antes da fervura. Mexer bem.

QUINDÃO: 12 gemas mais dois ovos inteiros; 3 colheres cheias de manteiga ou margarina sem sal; 2 xícaras de açúcar; 1 pacote de coco ralado (ou Flococo). Misturar todos os ingredientes, sem bater e levar ao forno em forma untada com bastante manteiga e polvilhada com açúcar. Assar em "banho-maria"

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
*João Batista Gregório, paulista de São João da Boa Vista, é cronista de mão cheia. Publicou, em 2009, suas crônicas reunidas em Crenças e Desavenças e, em 2010, seu novo livro, Qual será o Sabor da Crônica?, lançado durante a Bienal do Livro de São Paulo. Para conhecer a sua produção, acesse o blog do JB, cheio de histórias divertidas, onde cada crônica pitoresca acaba com uma receita culinária especial, testada e aprovada pelo autor! Clique no endereço abaixo e delicie-se! http://contoscurtosgrandesreceitas.blogspot.com/
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

9 comentários:

Cristina disse...

Caro amigo João Batista

Li este conto no seu blog e lá deixei meu comentário. Reforço aqui meu apreço e admiração pela sua pessoa e pelos seus contos, sempre muito gostosos e divertidos.
Neste ano de 2010, tive a grata satisfação de conhece-lo e espero poder continuar sendo digna de sua amizade por longos anos.
Desejo a você e seus familiares, um Ano Novo com muitas coisas boas, doces e tão gostosas, quanto esse bolo que vc serviu aos bombeiros.
Espero em 2011 poder ler mais livros seus e autografados.
Carinhoso e fraterno abraço.

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Caro amigo João!
Já admoestei a lambisgoia da Agrado e disse-lhe ainda que ela pode tirar o "cavalinho da chuva", porque ela ficou sôfrega para "conhecer" os seis bombeiros do tio Sam!!!!
Caloroso abraço! Saudações abrasadoras!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

Nivia Andres disse...

Prezadíssimo amigo João Batista!

Seu conto tem uma dinâmica espetacular que envolve diversidade de sensações perturbadoras - apreensão, frio, temor, perplexidade - tudo por causa da necessidade de umas baforadas no seu Marlboro! E foi tudo tão perfeitamente contado que podemos sentir a passagem das horas e o aumento da sua aflição à medida em que o tempo vai se esgotando e se aproxima a hora da chegada dos convidados...

Mas nada como ser um homem criativo, de mil talentos... Só podia se dar bem! Espero que oa convidados tenham aproveitado muito a ceia de Ano Novo nos States!

Feliz Ano Novo!

João disse...

Oi Cris!
obrigado, querida, também tenho muita admiração por tua pessoa. Que Deus nos abençoe nesse novo ano que se inicia!!!
Abraços

João disse...

Professor, é melhor vc administrar doses homeopáticas de salitre com melissa para atenuar o furor uterino dessa tua amiga, a Lambisgóia do Agrado kkkk
Abs
joão

João disse...

Nívia, mais uma vez fico agradecido pela publicação de outra crônica minha. Vc é, realmente, aquela amiga fiel que tivemos a felicidade de conhecer. De certa forma devemos agradecer àquele Blog pois que proporcionou a boa amizade entre os quatro paladinos da decência e do respeito ao próximo: a Cris, o Professor, eu e vc.
Desculpe-me pelo atraso na postagem mas ontem recebi, aqui no sítio, a minha neta e o namorado americano. Adivinhe quem ficou entre a churrasqueira e o fogão? Fora as "brejas" que tomei...kkk
Abraços, monha amiga.
João

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Caríssimo amigo João!
Preciso admoestar novamente a lambisgoia da Agrado, porque ela disse-me que continuará em estado de frenesi enquanto você não usufruir dos agrados da Agrado!!!!...
Folguedos a parte, a honra é minha por ter a prerrogativa de ter conhecido você, a Cristina e a destemida Nivia e saber que no mundo cibernético não existem somente pessoas peçonhentas, mal amadas, vaidosas, invejosas, covardes, falsárias, mas também podemos encontrar pessoas absolutamente do bem, como vocês, que jamais padecerão da "cegueira branca", bem como nem em pensamento enganarão seus interlocutores, criando perfis falsos, que patologicamente interagem entre si, colocando fotografias de apresentações que não correspondem com a realidade e para completar o nefasto quadro copiam descaradamente textos alheios, sem citar as fontes, como se fossem os autores!!!!...
Espero que estes seres vis fiquem eternamente sob o domínio de Mephisto!!!!...
Max!!!!... Traga meus sais centuplicado!!!!..
Caloroso abraço! Saudações aliviadas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

arlete disse...

João Batista:
Não conhecia os teus textos. No momento em que a Nívia convidou-me a participar de “Cenas de Natal”, tive a oportunidade de te conhecer através do que escreves. Gostei muito do teu estilo direto, fluente, coloquial, unindo ficção e realidade, num conjunto harmônico que fazem a delícia da leitura.
Agradeço as generosas palavras que teceste sobre o texto que escrevi.
Um 2011 inspiradíssimo para ti, acompanhado de muita saúde, paz, alegrias em profusão e uma boa quantia pecuniária para manter tudo isso.
Arlete Gudolle Lopes

João disse...

Oi, Arlete! Parece que temos uma nova amiga...Isso é muito bom!
O mesmo desejo pra vc.
Forte abraço
João