Acompanhando Interface Ativa!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Mediocridade pura, ou seria...safadeza pura?

Cândido Vaccarezza (PT-SP), líder do governo na Câmara, quer antecipar o recesso do Congresso para 10 de junho, para que os distintos legisladores possam acompanhar, sem interrupções desagradáveis, a Copa do Mundo. O Parlamento voltaria a funcionar normalmente só depois das eleições de outubro - o segundo turno (se houver)acontece só no dia 31. Como já se terá o nome do novo presidente e já se saberá, também, a composição do novo Congresso - e a menos de dois meses do fim do ano e da legislatura -, não se vai votar mais nada de importante mesmo. Assim, temos que, na prática, o deputado petista está defendendo que o Congresso, neste ano, encerre as suas atividades no começo de junho, com a moleza de sete meses de férias, pagas, como sempre, pelo contribuinte!

Muitos haverão de dizer que é melhor e mais saudável para o país que os legisladores gozem férias prolongadas, sem gerar novas despesas, afinal, logo após o campeonato mundial já estarão em campanha...Porém, trata-se de um acinte e uma ofensa a quem trabalha e cumpre os seus deveres.

Acontece que o senhor Vacarezza e seus demais colegas parlamentares fazem parte de um feudo que se autorregulamentou e não faz mais parte do território brasileiro. Não precisam mais dar satisfação a ninguém, até porque a cobrança é pouca...

Neste ano, o recesso se daria entre 18 e 31 de julho. Oficialmente, deputados e senadores usam esse período para visitar as suas bases. Vaccareza vai propor a antecipação para o dia 10 de junho, véspera do início da Copa do Mundo. Até lá, seria preciso votar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), sete medidas provisórias, a implantação de banda larga nas escolas e a adesão do Brasil ao Tratado Constitutivo da União de Nações Sul-Americanas.

Caros leitores, o x da questão não é a Copa do Mundo, festas juninas e o escambau...Acontece que a base governista, ultimamente, está sem controle e propensa a ser muito bondosa, dirigindo os olhos para o dedo do eleitor, aprovando o reajuste dos aposentados e o fim do fator previdenciário, causando sérios reveses ao governo que já não consegue segurar os seus trêfegos companheiros, dispostos a rezar em todas as cartilhas para segurar a boquinha por mais quatro anos.

Então, a estratégia real é essa - como o Planalto não consegue mais segurar a sua base, propõe que seja esticado o recesso, ou provocar um verdadeiro fechamento branco do Legislativo. E o povo que se exploda e continue se esfalfando para pagar as benesses usufruídas por esse bando de medíocres, ou melhor, de safados.

Nenhum comentário: