Acompanhando Interface Ativa!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Ministro da Justiça acha "até bom" o vazamento do Enem

O ministro Tarso Genro confirmou a colaboração da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança na aplicação do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio), e disse que considera o incidente do vazamento da prova como positivo, por mostrar a importância do Enem para todo o país.

O ministro deveria ter permanecido calado, mas resolveu debochar mais um pouquinho do povo brasileiro, com essa pérola: "Eu disse para o [ministro da Educação] Fernando [Haddad] ontem que até foi bom o que aconteceu, porque assim não somente nós, mas toda a sociedade brasileira se tornou consciente da grande importância que tem o Enem para o futuro da educação no Brasil."

Esquece o ministro que, independente do que ele acha que é bom para a sociedade brasileira, mais revelante seria perguntar ao colega que responde pela pasta da Educação por que agiu com desídia, frouxidão e autossuficiência, desrespeitando o esforço e a expectativa de milhões de estudantes que iriam submeter-se ao exame, no final de semana passado. Pela importância da prova, não teria sido mais previdente verificar a idoneidade e as condições de segurança do consórcio de empresas responsável por sua impressão, distribuição e aplicação, solicitando o aparato da PF como medida de segurança antecipada? Também não parecem importantes para o ministro Tarso os R$ 34 milhões jogados fora, afinal, o governo dispõe de muitos recursos e, para a edição vindoura, certamente gastará o dobro!

O novo Enem será realizado por uma força-tarefa formada pela Fundação Cesgranrio e pelo Cespe, ligado à UnB (Universidade de Brasília), com apoio dos Correios, nos dias 5 e 6 de dezembro, às 13h.

Fonte: Folha Online, sucursal de Brasília

Um comentário:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezada jornalista Nívia Andres:
Fiquei exasperado com esta infeliz consideração do Ministro da Justiça, que me reportou a outra proferida pela Marta Suplicy, quando ocupava o cargo de Ministra do Turismo, por ocasião do caos aeroviário, que não considero de bom alvitre transcrever.. É inconcebivel, alguém investido num cargo público desta envergadura, fazer folguedo com um fato tão grave.
O que nos espera?
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP