Acompanhando Interface Ativa!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O prêmio

Após a decisão do STF de não aceitar a denúncia do Ministério Público Federal contra o ex-ministro Palocci, considerando responsável pela quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa apenas o ex-presidente da CEF, o processo criminal na 1ª instância nem dará a largada caso Jorge Mattoso aceite submeter-se a dois "castigos" - Primeiro: durante dois anos, dar palestras sobre o sistema democrático, uma a cada dois meses, para alunos de escolas públicas. Segundo: doar 50 resmas de papel braille para uma entidade beneficente que trabalhe com deficientes visuais.

Parece piada. Mas não é. Na abertura da sessão do STF, o ministro Gilmar Mendes informou que os defensores dos três denunciados haviam recusado a proposta. Todos confiavam na Justiça. O ex-ministro Antonio Palocci e o jornalista Marcelo Neto se safaram. Mattoso deveria ter desconfiado de que talvez sobrasse para alguém. Como a oferta continua de pé, é provável que agora a examine com menos arrogância.

Nas circunstâncias, é um prêmio. Coitados dos alunos que forem obrigados a ouvir as palestras de Jorge Mattoso. Acho que vão gazear a aula...

2 comentários:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezada jornalista Nivia Andres:
A "absolvição" do ex ministro, me deixa de tal forma desalentado, que nada mais me surpreende nesta nossa amada Pátria, que ainda tem alguns resquícios de palmeiras e sabiás.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

Nilso Jose Turchetti disse...

Já pensou, se todos os Ministros ou Secretários fossem processados ou presos, pelo mesmo crime que julgam que o ex-ministro teria cometido...acho que não teria um governo com ministros limpos, inclusive os da ´´dita dura´´quais tinham a imprensa amordaçada e dirigida...Golberi tinha muito a ensinar...abraço.