Acompanhando Interface Ativa!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Boa pergunta. Resposta infeliz.

Indagação pertinente feita por um leitor no Blog do Noblat, esta noite, a respeito das viagens dos parlamentares:

"Por que o parlamentar tem que ir uma vez por semana ao seu reduto eleitoral às custas do contribuinte?

Ora, ele foi eleito para ficar em Brasília. Falar que precisa ir para estar em contato com a sua base e poder trabalhar por ela? Ele faz isso antes da campanha. Durante o seu mandato tem é que cumprir com o que foi prometido para ser eleito.

Além do mais, hoje com a internet e todas as suas facilidades, não preciso ir até Zagreb, na Croácia, para saber o que está acontecendo por lá, ou até mesmo em alguma cidade menor do interior da Eslováquia. Não tem internet de alta velocidade no Congresso para promover, inclusive, conferência on-line dos parlamentares com os seus representantes nas suas bases?

Ora, soluções para o fim dos abusos existem aos milhões. Resta saber se querem mesmo acabar com as mordomias ou se é apenas conversa para boi dormir."

Em contraponto, deputado qualquer (Sílvio Costa, PMN-PE), no Jornal da Globo, disse que não pode exercer seu mandato a contento se não tiver todas as "condições" (leia-se recursos), senão há perigo de "corrupção" e continuou, afirmando que vai recorrer em plenário caso seja aprovado o ato da Mesa que acaba com o uso da cota para parentes. "Não é justo que mulher e filhos não possam vir a Brasília. Quer dizer que agora eu venho para Brasília e minha mulher fica lá? Assim vocês querem que eu me separe. É preciso acabar com essa hipocrisia. Ou a Câmara tem a coragem de falar a verdade ou cada dia vamos apanhar mais", disse, para logo a seguir ser aplaudido por colegas. Mais uma resposta infeliz...

Tenho certeza de que não elegemos as mulheres e os filhos dos deputados. Se querem ir e vir a Brasília, que seja com seus próprios recursos e não com o dinheiro do povo.

Nenhum comentário: