Acompanhando Interface Ativa!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Alguma poesia

...e gira a roda dos poetas
...e gira a ciranda do sarau
na sala do solar
ao poema
o poeta sola
sua sinfonia afônica
sibilante na sílaba tônica
da voz rouca
que balbucia versos
numa escala pentatônica
no ninho do poema
qual passarinho
a poesia põe seus ovos
voando à base de vinho
totalmente embriagada
pelas asas avoadas
que batem
na mesma tecla
uma palavra imantada
pelo eco das cavernas
onde bem dita como verbo
realiza sua cerimônia
simultaneamente
profana e sagrada
...e gira a roda dos poetas
no intervalo
de cada palavra
tanto o que se diz
quanto o que se fala
faz parte do mistério
que a poesia inscreve
em sua cabala

Tavinho Paes*

*carioca, poeta, compositor com mais de 200 registros musicais, como Totalmente Demais (Caetano Veloso), Linda Demais (Roupa Nova) e Rádio Blá (Lobão). Possui mais de 100 títulos lançados como panfletos marginais desde 1975. Lançou seu primeiro livro, Os Monossexuais em 2007. Edita as webpages poemashow.com.br e tavinhopaes.com.br desde 2002. Produz com Bruno Cattoni o Festival Poesia Voa, no Circo Voador. Ano passado publicou pela Ibis Libris seu segundo livro, buzinai naïf.

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns pela abordagem. Os leitores precisma refletir sobre os reais propósitos dos bloguistas. Sabe-se que alguns produzem textos agradáveis e elevados, como é o seu caso e do Froilam, outros destilam ressentimentos, amarguras e maldades que deprimem os leitores.