Acompanhando Interface Ativa!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Ingrid Betancourt visita o Brasil

Em visita ao Brasil, Ingrid manteve encontro com o presidente Lula
A ex-senadora franco-colombiana e ex-refém Ingrid Betancourt disse, em entrevista, nesta sexta-feira (5) que a guerrilha das Farc, que a manteve refém durante seis anos, na Colômbia, só tem duas opções: se regenerar ou morrer. Ingrid, libertada pelos guerrilheiros após uma bem sucedida operação do Exército da Colômbia, em 2 de julho, esteve em São Paulo nesta sexta. Ela manteve um encontro com o presidente Lula, quando agradeceu a ele pelo apoio dado ao seu processo de libertação.

Ingrid disse que Lula fez muito pela sua libertação, mas de maneira discreta. Segundo ela, o apoio do presidente brasileiro foi decisório, pois ele tem uma invejável rede de contatos com os demais presidentes latino-americanos. Ingrid, que vive na França desde que foi libertada, disse ter entregue a Lula uma carta do presidente da França, Nicolas Sarkozy, na qual o francês elogia o brasileiro e diz que ele tem sido um "aliado extraordinário". A ex-refém criticou as Farc, dizendo que a guerrilha não tem um pensamento político. Ingrid disse que pretende permanecer seis meses afastada para escrever um livro de memórias. Confirmou que não almeja nenhum cargo político na Colômbia. Disse aspirar a uma política de "valores e princípios", não à política da "politicagem". A ex-senadora voltou a elogiar o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, pela operação de resgate que a libertou, mas disse que tem divergências com ele. Segundo ela, Uribe só vê a via militar de enfrentamento com a guerrilha, enquanto ela acredita que existe um caminho social, que passa pelo resgate dos jovens hoje cooptados pelos guerrilheiros.

A colombiana disse que a operação de resgate, que ludibriou os guerrilheiros, foi "extraordinária", mas dificilmente poderia ser repetida. "A um cão, não se capa duas vezes", disse. Ela disse que não se sente mais insegura depois da saída do cativeiro, mas admitiu que ainda tem pesadelos.
Foto: AP

Um comentário:

Bento disse...

A Senadora Ingrid Betancourt atraves de sua vida sempre lutou por um ideal em seu país e apesar do periodo de prisao pelos soldados da FARC e pelo estupro do qual foi vitima, sera uma politica de grande expressao em seu país.