Acompanhando Interface Ativa!

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Os poetas e escritores de Santiago no Diário de Santa Maria e na Zero Hora

Ontem, no Diário de Santa Maria, hoje, em Zero Hora, o Projeto Santiago do Boqueirão, seus poetas quem são? foi destacado em espaço privilegiado das publicações editadas pelo Grupo RBS, numa demonstração óbvia da importância que atinge essa iniciativa do curso de Letras da URI Santiago, provavelmente inédita no sul e, quem sabe, no Brasil.

A idéia de democratizar o conhecimento da produção literária dos poetas e escritores santiaguenses, tornando-a acessível ao grande público é, por si só, maravilhosa e mais apaixonante se torna à medida em que mais autores são lançados e dados a conhecer para a comunidade. Mesmo efeito têm as exposições itinerantes, que circulam na cidade e na região, mostrando a cara e a produção de nossos poetas e escritores. Conviver com a cultura nos torna melhores como cidadãos e pessoas. A poesia, quem diria, é uma amiga que circula no ar de Santiago, dançando nos quatro cantos da cidade...
Há poucos dias, encontrei um artigo da professora Diana Maria Noronha - Escola e Literatura: O real e o possível - em que ela cita o revolucionário cubano José Martí, que também era poeta e ensaísta. Num artigo sobre o poeta Walt Whitman, Martí esclareceu qual o papel que, para ele, a literatura deve ter na vida dos homens: Quem é o ignorante que afirma que a poesia não é indispensável? Há gente de visão mental tão curta que acredita que toda fruta acaba na casca. A poesia que fortalece ou leva à angústia, que apóia ou derruba as almas, que dá ou tira dos homens a fé e o consolo, é mais necessária que a própria indústria, pois esta lhes proporciona um modo de subsistência, enquanto aquela lhes dá a vontade e a força da vida.

Um comentário:

Jorge Bitencourt disse...

Rosane Vontobell não é a idealista do termo e do projeto Terra dos Poetas. Trata-se de uma exploradora de um assessor, hoje, atuante na biblioteca da Ulbra de Santiago, o Rodrigo, que faz pós na URI. A ex-PP, meia PMDB, é pura falcatrua, felizmente, está fora do noticiário, pois como oportunista já é conhecida pelos jornalistas competentes do Rio Grande do Sul, além disso, poesia é um estado de espírito. Literatura é outra história, como sabem Cecilia e Umberto Ecco, Machado de Assis e Aureliano de Figueiredo Pinto. Chega de picaretagem.