Acompanhando Interface Ativa!

terça-feira, 22 de julho de 2008

Aprenda a detectar um AVC e ajude a salvar vidas

O prefeito de Canoas, RS, é médico emergencista. Não foi por outra razão que o médico Marcos Ronchetti investiu R$ 20 milhões e montou o único Hospital de Pronto-Socorro do interior do estado. Agora, ele resolveu tocar adiante outra iniciativa que é inédita. Ele acaba de lançar o projeto-piloto do Programa Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral (AVC) que irá atender pacientes no HPSC com o uso da telemedicina. Acompanhe a leitura:

1) Através da técnica, a aplicação de medicamento, o rtPA, o único que pode conter o AVC, pode ser coordenada por uma equipe de profissionais especializados em Porto Alegre – coordenados pela neurologista Sheila Martins – com a ajuda de um programa que conecta o tomógrafo – para avaliação da tomografia de crânio – e a webcam – para a visualização do paciente – à internet;

2) O medicamento rtPA (ativador do plasminogêneo tecidual recombinante) é a única forma de tratamento do AVC. No Brasil, somente 32 centros fazem o uso desse remédio, sendo que apenas 13 prestam o atendimento pelo SUS. No Rio Grande do Sul, por enquanto somente os hospitais de Clínicas e São Lucas, da PUC, ambos em Porto Alegre, utilizam a droga pelo SUS;

3) Conforme dados do Programa Nacional de Atendimento ao AVC, 20% dos brasileiros chegam ao hospital dentro das três horas de ocorrência dos sintomas, a tempo de serem atendidos, mas a maioria dos hospitais brasileiros não está capacitada para ajudá-los. Canoas, agora, poderá fazer isto.

Médicos especialistas afirmam que é possível salvar uma pessoa com AVC se ela for atendida até em 3h após a ocorrência dos sintomas. Mas como descobrir se é um AVC, logo após ter acontecido o fato?

Há um teste simples: 1. Pedir para a pessoa sorrir; 2. Solicitar que levante os braços; 3. Fazer com que fale uma frase simples, do tipo "Hoje está um dia ensolarado". Essas atitudes podem detectar a debilidade facial, a debilidade motora dos braços e a debilidade na fala.

A maior divulgação deste teste pode facilitar o diagnóstico e tratamento do AVC, evitar danos cerebrais e salvar a vida de uma pessoa. Passe adiante esta informação. Ela pode salvar vidas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Já utilizei desse teste,e informei ao médico plantonista, mas não o especifiquei em prontuário porque não sabia como fazê-lo.Qual a nomeclatura utilizada?