Acompanhando Interface Ativa!

sábado, 31 de maio de 2008

Funai encontra índios isolados no Acre

As choças servem como dormitório e cozinha

Os índios empunharam armas contra o avião...

...e estavam pintados para a guerra
Os sertanistas da Fundação Nacional do Índio (Funai) anunciaram a descoberta de uma tribo indígena que vive isolada, no Acre, mais especificamente na fronteira do Brasil com o Peru. As fotos foram feitas entre 28 de abril e 2 de maio e divulgadas esta semana pela própria Funai, com o objetivo de chamar a atenção do mundo para o risco que correm algumas das últimas civilizações indígenas isoladas na selva brasileira. Madeireiros peruanos têm invadido a região, derrubam árvores e ameaçam as tribos de índios que vivem próximo ao rio Envira. Podem acabar com elas antes que o mundo as conheça, como costuma acontecer com milhares de espécies animais e vegetais da Amazônia.
O mundo parou para ver as fotos, feitas de um Cessna Skylane, que são destaque nos jornais e sites da internet dos Estados Unidos à Itália, da Inglaterra ao Extremo Oriente. A Região Amazônica possui 68 grupos indígenas isolados - de um total de cem que, estima-se, existem no mundo. A Funai desconhece a etnia a que etnia pertencem os índios. São três grupos e podem até ser de tribos diferentes. A possibilidade é que eles sejam das etnias pano ou aruak, que vivem na Amazônia e são de troncos indígenas diferentes. Eles vivem numa área de 630 mil hectares que abriga três reservas silvícolas.
As fotos que espantaram o mundo foram feitas pelo sertanista José Carlos Meirelles, que trabalha há 40 anos na Funai. O sertanista defende a reação dos índios, que dispararam flechas ao verem o avião. O contato com o mundo exterior tem se mostrado catastrófico para os índios brasileiros, que eram 5 milhões à época da chegada dos primeiros europeus e hoje somam 350 mil. A estratégia da Funai é garantir território para as tribos arredias aos brancos, mantendo-as isoladas para preservá-las dos perigos do contato com a sociedade urbana. Seguindo à risca essa política, em 12 anos a Funai só fez dois contatos físicos com índios isolados.

As fotos revelam que os índios estão pintados para a guerra, com corante vermelho (urucum) no corpo. Uma índia está pintada de preto (genipapo). Há cestos com algodão e mandioca e as malocas de moradia são cobertas de sapé.

Alguém acredita que os índios vão ficar isolados por muito tempo? A mídia não vai sossegar enquanto não conseguir registrar as tribos mais de perto.

Nenhum comentário: