Acompanhando Interface Ativa!

sábado, 17 de maio de 2008

Esplendor e sepultura...

O Parlamento português aprovou, nesta sexta-feira, o segundo protocolo modificativo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, o que encerra décadas de discussão sobre a questão. Assim, Portugal se une a Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe que em 2007 ratificaram o protocolo.

O acordo passa a valer no Brasil no dia 1º de janeiro de 2009 e o país terá três anos para se adaptar à nova maneira de se escrever. Portugal terá seis, uma vez que as mudanças por lá serão bem maiores do que aqui. O dicionário português terá de trocar 1,42% das palavras, enquanto o nosso, apenas 0,43%.

O QUE MUDA:
1. O acordo prevê a eliminação do acento agudo nos ditongos abertos ei e oi de palavras paroxítonas, como "assembleia", "heroica", "ideia" e jiboia";
2. Com as novas regras, o trema será extinto: linguística, aguentar, frequência, arguir;
3. A reforma suprime o circunflexo nas formas verbais creem, veem, leem, deem, e seus derivados;
4. Os portugueses passarão a escrever como os brasileiros, retirando consoantes não pronunciadas em palavras como adoptado (adotado) e afectivo (afetivo);
5. A nova regra elimina o acento circunflexo em casos de duplo o: voo, enjoo, abençoo;
6. Há mudanças na regra do hífen. Pela nova norma, não se emprega o hífen nas formações em que o prefixo ou falso prefixo termina em voghal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo essa consoante ser duplicada. Palavras como anti-religioso, anti-semita e extraregular ficariam antirreligioso, antissemita e extrarregular. Em formações com os prefixos acentuados pós, pré, e pró, quando o segundo elemento tem vida à parte, se mantém o hífen, como em pré-requisito;
7. O acento diferencial entre forma (substantivo e verbo) e fôrma (substantivo) passa a ser facultativo;
8. O acordo elimina o acento agudo diferencial de palavras homógrafas. Ficariam sem acento tanto o para (verbo) como o para (preposição);
9. O acento agudo diferencial também é retirado nos exemplos a seguir: pela, pelo, polo. A exceção à regra será a manutenção do acento diferencial nas palavras pôde (na 3ª pessoa do singular) e pode (na 1ª pessoa do singular);
10. Incorporação definitiva no alfabeto das letras K, W e Y, aumentando-o de 23 para 26 letras. As letras são usadas em palavras e siglas originárias de outras línguas e seus derivados, como darwiniano, taylorista e shaKespeariano;
11. Não levam acento agudo as vogais tônicas i e u das palavras paroxítonas quando precedidas de ditongo. Passaremos a escrever baiuca, baiuno, cauila. Não leva acento agudo o u tônico de formas rizotônicas dos verbos arguir e redarguir: arguis, argui, redarguis e redargui;
12. Facultativamente, o acordo continua autorizando a dupla grafia para fazer diferenciação: louvámos (passado) em oposição a louvamos (presente) e amámos (passado), em oposição a amamos (presente);
13. Mudança no h mudo. Para Portugal, há retirada do h presente em palavras como húmido (úmido) e herva (erva).

Nenhum comentário: